Essa Gente – Chico Buarque

Não tem como ler “Essa gente” e não pensar no Brasil. O novo livro de Chico Buarque é escrito em forma de diário de anotações, com mensagens enviadas e recebidas. Cada capítulo é um pequeno relato do dia a dia do escritor Manuel Duarte, autor do best-seller histórico Eunuco do Paço Real. Decadente, cheio de dívidas, com um filho adolescente com quem não conversa e duas ex-mulheres.

Chico nos mostra um Rio de Janeiro pobre e desigual. Há mendigo que apanha de um sócio do Country Club. Um pastor evangélico que castra cantores líricos. Linchamento na praia, discussão sobre porte de arma, entre tantos outros assuntos que mostram uma intensa discussão política no país.

De novembro de 2018 a setembro de 2019, a gente companha o personagem Duarte e por vezes fica na dúvida se estamos falando de um personagem ou se o livro também se trata de um registro do ano do autor. Assim como o personagem, Chico era morador do Leblon e costumava caminhar pelas ruas do bairro carioca.

É best porque…

Além de ser super bem escrito, os capítulos curtos dão folego a leitura. Entre uma carta e outra, Duarte de contradiz em vários momentos, fazendo com que o leitor mais atento questione a opinião do personagem.