Como descrever o que não se pode ver?

O tema parece batido: Segunda Guerra mundial, invasão nazista, juventude alemã. Tudo que já vimos em outros livros como “A menina que roubava livros”, “O amigo alemão”, “Inverno do mundo” e tantos outros. Entretanto, “Toda Luz que não podemos ver”, de Anthony Doerr, vem com uma narrativa especial. Traz a história da menina Marie-Laure, que fica cega e foge de Paris para sobreviver à invasão nazista, e de Werner, órfão e aluno da juventude hitlerista.

O autor é preciso e rápido em capítulos curtos, sempre alternando as histórias dos personagens. Ora conta a trajetória de Marie, ora conta a vida de Werner, mesclando futuro e passado. Isso faz com que o leitor termine o capítulo mais depressa só para saber o que vai acontecer.

A Segunda Guerra Mundial parece mesmo um assunto inesgotável. O livro, lançado em 2014, bateu a marca de 1 milhão de cópias vendidas no seu primeiro ano, o que fez a editora Intrínseca adquirir a publicação e lançá-la em 2015, aqui no Brasil.

É best porque:

Como descrever o que Marie-Laure ‘vê’? Esse é uma das belezas do livros. Doerr faz com grande poesia as descrições, sentimentos e sons que a menina escuta, como quando descreve a voz do tio-avô Etienne ou o som do mar quando ela chega Saint-Malo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *